O ECG é um método barato, simples e acessível, que permite a identificação de hipertrofia ventricular esquerda, alterações isquêmicas, distúrbios de condução e arritmias cardíacas, além de auxiliar na estratificação de risco cardiovascular.

O ProHArt está equipado com um aparelho de ECG de repouso CardioSoft da GE Healthcare.

 

cardiosoft em uso  cardiosoft  GE-HealthCare

 

 

O ECG é realizado de rotina em todos os pacientes da coorte, anualmente, e vários estudos já foram publicados analisando o valor prognóstico do intervalo QT e do diagnóstico de hipertrofia ventricular esquerda.

 

Primeiro estudo

QT prolongado (>460 m/s) foi marcador de risco para ocorrência eventos cardiovasculares fatais e não fatais, mortalidade total e mortalidade cardiovascular.

Avaliação prognóstica do prolongamento da repolarização ventricular (intervalo QT).

  • Salles GF, Cardoso CR, Muxfeldt ES. Prognostic value of ventricular repolarization prolongation in resistant hypertension: a prospective cohort study. J Hypertension 2009; 27(5): 1094-1101.

 

Segundo estudo

Pacientes que não apresentaram strain tiveram melhor prognóstico do que os pacientes que desenvolveram ou persistiram com padrão de strain para morbimortalidade cardiovascular e mortalidade total.

  • Salles GF, Cardoso CR, Fiszman R, Muxfeldt ES. Prognostic significance of baseline and serial changes in electrocardiographic strain pattern in resistant hypertension. J Hypertension 2010; 28(8): 1715-23.

 

Terceiro estudo

A presença de HVE basal (por qualquer critério de voltagem – Sokolow, Cornell e produto de Cornell) apontou para um pior prognóstico. O grupo que persistiu ou desenvolveu HVE durante o estudo teve maior mortalidade cardiovascular.

  • Salles GF, Cardoso CR, Fiszman R, Muxfeldt ES. Prognostic impact of baseline and serial changes in electrocardiographic left ventricular hypertrophy in resistant hypertension. Am Heart J 2010; 159(5): 833-40.

 

O prolongamento do intervalo QT do ECG convencional está associado a maior mortalidade cardiovascular em vários estudos populacionais e de pacientes específicos.

Em pacientes com hipertensão arterial ele se associa a hipertrofia ventricular esquerda e, embora não seja isoladamente superior aos critérios tradicionais de voltagem, ele melhora a detecção de HVE quanto usado conjuntamente com os critérios eletrocardiográficos de voltagem.

A presença do padrão de sobrecarga ventricular esquerda (strain, infradesnivelamento do segmento ST com inversão assimétrica da onda T nas derivações precordiais esquerdas) é outro marcador de HVE e de maior risco cardiovascular. Em pacientes com hipertensão arterial resistente a presença de strain se associa a maior massa ventricular esquerda e a vários outros fatores de mau prognóstico cardiovascular, tais como, doença coronariana, maiores pressões arteriais na MAPA, glicemia e creatinina mais elevadas.

 

Artigos publicados pelo ProHArt

  • Salles GF, Cardoso CR, Fiszman R, Muxfeldt ES. Prognostic importance of baseline and serial changes in microalbuminuria in patients with resistant hypertension. Atherosclerosis. 2011 May;216(1):199-204. Epub 2011 Jan 21.
  • Salles GF, Cardoso CR, Fiszman R, Muxfeldt ES. Prognostic significance of baseline and serial changes in electrocardiographic strain pattern in resistant hypertension. J Hypertens. 2010 Aug;28(8):1715-23.
  • Salles GF, Cardoso CR, Fiszman R, Muxfeldt ES. Prognostic impact of baseline and serial changes in electrocardiographic left ventricular hypertrophy in resistant hypertension. Am Heart J. 2010 May;159(5):833-40.
  • Salles GF, Cardoso CR, Muxfeldt ES. Prognostic value of ventricular repolarization prolongation in resistant hypertension: a prospective cohort study. J Hypertens. 2009 May;27(5):1094-101.
  • Salles GF, Cardoso CR, Leocadio SM, Muxfeldt ES. Recent ventricular repolarization markers in resistant hypertension: are they different from the traditional QT interval? Am J Hypertens. 2008 Jan;21(1):47-53.
  • Salles GF, Fiszman R, Cardoso CR, Muxfeldt ES. Relation of left ventricular hypertrophy with systemic inflammation and endothelial damage in resistant hypertension. Hypertension. 2007 Oct;50(4):723-8. Epub 2007 Jul 16.
  • Salles G, Cardoso C, Nogueira AR, Bloch K, Muxfeldt ES. Importance of the electrocardiographic strain pattern in patients with resistant hypertension. Hypertension. 2006 Sep;48(3):437-42. Epub 2006 Jul 31.
  • Salles G, Leocádio S, Bloch K, Nogueira AR, Muxfeldt E. Combined QT interval and voltage criteria improve left ventricular hypertrophy detection in resistant hypertension. Hypertension. 2005 Nov;46(5):1207-12.
UFRJ ProHArt - Programa de Hipertensão Arterial
Desenvolvido por: TIC/UFRJ