A inflamação é hoje considerada o principal responsável pela doença aterosclerótica, sendo a proteína C reativa ultra-sensível identificada como mediador de inflamação sistêmica e de doença aterosclerótica, isto é, um importante marcador de disfunção endotelial, se correlacionando diretamente com o tradicional cálculo de Framingham do risco cardiovascular de 10 anos. No Brasil, não há estudos da prevalência de proteína C reativa US, e não há na literatura estudos em hipertensos resistentes.

 

Objetivos:

  • Estimar a prevalência de níveis elevados de PCR na coorte de hipertensos resistentes.
  • Avaliar o valor prognóstico da PCR em hipertensos resistentes

 

Financiamento: Petrobrás / FINEP

 

Teses relacionadas:

  • Doutorado: Dr. Roberto Fiszman - concluída.
  • Mestrado: Dr. Arthur Fernandes Cortez – em andamento

 

Artigos publicados pelo grupo no assunto:

  • Salles GF; Fiszman R; Cardoso CRL; Muxfeldt ES. Relation of Left Ventricular Hypertrophy With Systemic Inflammation and Endothelial Damage in Resistant Hypertension. HYPERTENSION 2007; 50(4): 723-8.
UFRJ ProHArt - Programa de Hipertensão Arterial
Desenvolvido por: TIC/UFRJ